Arquivo da tag: Vida

Há Vida Após a Morte?

É tão difícil não acreditar em uma vida após a morte quando alguém próximo a nós morre, mas será que há mesmo?

Particularmente, essa é uma das questões que eu mais gosto de pensar sobre, simplesmente porque não existe uma resposta concreta para isso, todas não chegam nem perto de serem respondidas de forma coerente e que convença uma grande parte da população. Passagem, transcendência, rito, esse são alguns nomes usados para o que ocorre quando um ser humano morre, mas para onde ele vai?

Paraíso, Céu, Inferno, Tártaro, Submundo, Planos Existenciais, Campos Elísios, Asfódelos, Olimpo, Limbo são termos utilizados para designar “lugares” que poderemos ir depois de morrer. A única pergunta a ser feita nesse momento é: Por que nós acreditamos nisso? Conforto? Tirar o peso da consciência? Pensar positivo? Cada um tem o seu motivo para acreditar ou não acreditar, mas mesmo assim ainda não temos uma resposta definitiva para a questão principal. Deveríamos pensar igual os egípcios e começarmos a embalsamar todos que morrem, construir pirâmides e enterrá-los junto ao Livro da Morte para garantir a passagem? Ou devemos deixar que forças maiores decidam sobre isso? Devemos passar por um julgamento para sabermos para onde devemos ir? Se vamos sofrer ou viver em eterna alegria? Preciso deixar claro que essa dissertação nada mais é do que um texto para persuadir você, leitor, a pensar sobre esse assunto, aí está o porquê de tantas perguntas.

Primeiramente queria falar sobre a questão de reencarnação. Essa, pelo menos para mim, é um pouco mais difícil de acreditar do que as outras, porque nela o ser humano que morrer irá reencarnar em outra vida, mas sem memória nenhuma de suas vidas passadas ou qualquer vestígio de algumas delas. Mas qual seria o sentido então? Isso não seria uma reencarnação, mas sim uma vida nova, com tudo novo. Há pessoas que dizem passar por outras vidas quando são submetidas a “tratamentos” específicos, mas como eu nunca passei por nada parecido acho essa questão um tanto quanto complicada.

Depois gostaria de falar da opinião de alguns ateus que dizem que não há nada após a morte. Essa é tão difícil de acreditar quanto a primeira, não que existam razões específicas, mas não seria, talvez, chato, não existir nada além dessa vida? É só isso aqui e acabou, assim, do nada? E as pessoas que morrem cedo? Não tiveram a oportunidade de viver quase nada da vida e simplesmente sumiram da face da terra? Então por que nos apegamos tanto à questão da vida após a morte e tão poucas pessoas não acreditam? Simples. Porque ninguém quer que termine, eu não quero que minha vida acabe assim, do nada, ou que acabe e não exista mais nada, eu não queria que a vida da minha mãe acabasse.

Por último falarei das outras questões, que em sua maioria são diferentes na teoria, mas na prática são todas iguais. Você tem que ser bom aqui na terra para que possa garantir seu lugar no céu, paraíso, ou qualquer outro plano existencial que você acredite. E se você for mau, queimará no fogo do inferno, ou algo assim. É matemática simples (e olha que sou péssimo com números), seja bom e ganhe sua recompensa, seja mau e receba seu castigo. Manifestar opiniões sobre determinado assunto não quer dizer que você tenha a resposta, só quer dizer que você acha alguma coisa de alguma outra coisa. Por exemplo, eu acredito na vida após a morte, não creio que seja possível nós vivermos tão pouco tempo aqui na terra e depois nos perdermos no nada. Mas não é só porque eu acho isso, que você vai achar também. Crie sua própria opinião e faça um debate sobre isso, debates são ótimos para aguçar e melhorar seu ponto de vista e seus argumentos.

Convido a todos vocês, meus leitores, que chegaram ao fim dessa dissertação, a refletirem e se perguntarem, qual o propósito de tudo isso? Qual o propósito de atribuir várias opiniões sobre um determinado assunto fazendo pessoas refletirem sobre isso? Eu sou da seguinte opinião, faça o certo, mas o que é certo para você, seja feliz e o resto melhora.

Deixe um comentário

Arquivado em Dissertações